BORANDÁ BRASIL 2011

1/12

  Imagens - MICHELLE CRONEMBERG

TEATROS DO CENTRO DRAGÃO DO MAR, MATÃO(SP), MELBOURNE, ADELAIDE, CANBERA E SYDNEY (AUSTRÁLIA),

NOVEMBRO E DEZEMBRO 2011

 

A MAGIA DE BORANDÁ

 

Quando decidimos voltar ao espetáculo Borandá Brasil tínhamos em mente fazer uma “remontagem”, mas não foi exatamente assim que tudo aconteceu até chegarmos aqui. Ao remontar, ao tentar reler a leitura musical que fizemos de nosso próprio país, ficaram mais claras algumas de suas contradições esperançosas e tais contradições-esperanças, presentes na montagem primeira, adquiriram certa originalidade nessa nova montagem que é essencialmente renovada pelo fato de muitos cantores terem chegado após a caminhada pelo Brasil, sonoramente realizada em 2005.

 

O Borandá de hoje traz, portanto, as novidades de quem chegou e se achegou e está permeado pelos dois espatáculos que realizamos depois: “Gonzagas” e “Abraços”. A idéia seminal de Gonzagas, por exemplo, encontrava-se no Borandá primeiro e nele permanece. Gonzagão e Gonzaguinha são elos importantes na caminhada musical empreendida desde Borandá e que foi explorada em profundidade na concepção de “Gonzagas”. A magia de “Abraços” e a verticalidade de sua movimentação nos dá hoje o chão para firmarmos a re-caminhada.


Aqui, novamente, há a fé renovada e o investimento intenso em nossas possibilidades expressivas. Vontade de em música dizer quem somos, de onde viemos e para onde desejamos ir chegando daqui e dali.

 

O Coral da UFC, Projeto de Extensão de uma Universidade Pública que em 2005, ano de estréia de Borandá, criou seu primeiro curso de Música e que em 2010 instituiu o terceiro curso na área, vem comemorar este e tantos outros avanços de nossos tempo e de nossas sonoridades. As contradições forjam a nossa esperança de sermos nós mesmos. Somos nossa simples magia. Somos nossos encontros e despedidas.

 

 

Repertório

 

Chegança – Edu Lobo / Oduvaldo Viana Filho

Arr. Elvis Matos

 

Tropicália – Caetano Veloso

Arr. Marcos Leite

 

Cunhataiporã – Geraldo Espíndola

Arr. Samuel Kerr

 

Cara de Índio – Djavan

Arr. Elvis Matos

 

Jogo de Angola – Mauro Duarte / Paulo Cesar Pinheiro

Arr. Erwin Schrader

 

Candeeiro Encantado – Lenine / Paulo Cesar Pinheiro

Arr. Daniel Sombra

 

Cocada – Rita Ribeiro

Arr. Daniel Sombra

 

Xaxado– Luiz Gonzaga / Hervê Cordovil

Arr. José Gomes

 

Boreandá – Edu Lobo

Arr. Elvis Matos

 

Procissão da Chuva – Cacilda Borges Barbosa / Wilson Rodrigues

 

Sonora Garoa – Paçoca

Arr. Elvis Matos

 

Pecado Capital – Paulinho da Viola

Arr. Elvis Matos

 

Construção – Chico Buarque

Arr. Liliana Cangiano

 

Fantasia – Chico Buarque

 

Canta, Canta Mais – Tom Jobim

Arr. Elvis Matos

 

Redescobrir – Gonzaguinha

Arr. Erwin Schrader

 

É – Gonzaguinha

Arr. Tarcísio Jose de Lima

 

Trilha Incidental – Aquarela do Brasil – Ary Barroso

 

 

Ficha técnica

 

Sopranos - Carla Rebecca, Gisa Simões, Isabel Silvino, Ivana Vieira, Jéssica Poliana, Juliana Landahl, Lia Freitas, Melissa Leão e Mílian Goes

 

Contraltos - Alecéia Costa, Graça Viana, Joyce Custódio, Laisse Mariano, Lise Lopes, Luana Pires, Gleiciane Oliveira e Mayara Setúbal

 

Tenores - Alexandre Santos, Aurélio Simões, Daniel Sombra, Eduardo Taveira, Marcelo Mateus, Márcio Gurgel, Taceano Nunes e Thómas Fernandes

 

Baixos - Carlos Filho, Deyves Morais, Erlyson Ferreira, Gerardo Junior, Giseldo Júnior, Jota Nogueira, Onofre Paiva e Plínio Renan

 

Direção Geral e Regência - Erwin Schrader e Elvis Matos

Assistência de Direção - Juliana Rangel

Produção Executiva - Erwin Schrader, Isabel Silvino, Luana Pires, Thómas Fernandes, Alexandre Santos e Mílian Goes

Orientação Vocal - Gerardo Junior e Tom Junior

Laboratório de Criação Corpo-Voz - Juliana Rangel

Oficinas de Teatro e Percepção Corporal - Cláudio Ivo, Joyce Custódio, Heber Stalin e Thatiane Paiva

Consultoria para Mágicas - Marcos Queiroz e Mágico Goldini

Iluminação - Walter Façanha

Sonorização - Daniel Sombra e Luana Pires

Cenário - Aurélio Simões e Milian Goes

Pesquisa de Figurino - Aurélio Simões, Márcio Gurgel, Mílian Goes e Plínio Renan

Direção de Figurino - Plínio Renan

Execução de Figurino - Mônica Freitas

Adereços - o grupo

Marcenaria - José Lino.

Personagens - Eduardo Taveira (Mágico) e Laisse Mariano (Palhaço)

Violão - Deyves Morais

Flauta - Taceano Nunes

Triângulo - Graça Viana

Caixa - Jessica Poliana

Agogô - Jota Nogueira

Tambor e Egg Shaker - Joyce Custódio

Triângulo, Chocalho e Tamborim - Laisse Mariano

Cavaquinho, Djembê, Alfaia e Caixa - Lise Lopes

Pandeiro - Luana Pires

Pau de Chuva - Márcio Gurgel

Alfaia e Pau de Chuva - Thómas Fernandes

Solos - Aurélio Simões, Daniel Sombra e Gleiciane Oliveira

Quarteto - Giseldo Junior, Márcio Gurgel, Lia Freitas e Luana Pires

Sexteto - Carla Rebecca, Gisa Simões, Jessica Poliana, Joyce Custódio, Juliana Landahl e Laisse Mariano

Decateto - Alecéia Costa, Carla Rebecca, Carlos Filho, Daniel Sombra, Isabel Silvino, Jota Nogueira, Lise Lopes, Mayara Setúbal, Milian Goes e Thómas Fernandes

Projeto Gráfico - Alexandre Santos

Fotos - Alexandre Santos, Giseldo Junior e Henrique Torres

Equipe de Filmagem (documentário 50 anos do Coral da UFC) -  Valdo Siqueira (Coordenação), J. Neto (Edição), Tatiana Fortes (Produção), Aldir Moraes, Thiago Daniel, Luciana Gomes (Direção de Imagem), Luciana Gomes, Thiago Nascimento, Gabriel Silva, Rodrigo Pinto, Frota Neto (Câmera, Assistente de Câmera e Elétrica) e Carlito Almeida (Elétrica).

Av. da Universidade, 2210  | Fortaleza - Ceará - Brasil | coralufc@gmail.com | +55 85 98886.6965

  • Facebook - coraldaufc
  • Twitter - coralufc
  • Youtube - coralufc
  • Instagram - coraldaufc